03 out 18
Se você quer ir mais rápido, pare de correr

Eu costumava correr para buscar coisas que eu não necessariamente precisava. Este hábito começou quando eu tinha 17 anos e continuou no começo dos meus 20. Por correr demais, negligenciei o que eu realmente precisava. Eu fui dominada pela pressão, pelo medo de desapontar as pessoas ao meu redor e pela ideia de que eu não chegaria a canto algum. No topo de tudo isso, eu costumava ser uma perfeccionista, o que acabou levando a um transtorno alimentar que me impactou por anos.

Eu era tão jovem e tão focada em ter uma vida bem-sucedida sendo que eu não estava realmente vivendo. Eu era uma adolescente presa em expectativas, uma garota que queria se encaixar nas expectativas da sociedade. Eu estava perdendo mais que ganhando, porque eu não tinha uma perspectiva madura de mim e da minha vida. Eu só queria chegar aos próximos passos da vida o mais rápido possível. Mas para quê? Eu não sabia.

Toda a dor e os machucados não me fizeram parar. Na verdade, comecei a correr ainda mais rápido ao longo da vida, mas os fracassos que me acompanharam foram demais para lidar. Fiquei exausta e fiquei muito doente por causa do meu transtorno alimentar.

Tenho 32 anos agora. Estou em uma nova fase da vida e continuo a descobrir mais coisas sobre mim. Eu tento não me esforçar muito, mas continuo motivada (tem dias que não, mas é papo para outra história). Passei minha juventude pensando que nunca encontraria meu lugar no mundo, mas, agora que estou mais velha, percebi que eu importo.

Eu encontrei a minha independência uma vez que comecei a respeitar quem eu sou e o que eu quero. Eu me libertei quando decidi não correr corridas irresponsáveis, porque sei que vou voltar para o lugar sombrio do meu passado.

Eu nunca vou reclamar sobre a experiência completa de correr, porque isso me ensinou muito sobre mim e sobre a vida. A corrida me fez uma pessoa estratégica e uma lutadora. Ensinou-me a ser dura, mas, o mais importante, me ensinou que preciso diminuir a velocidade.

Se você está no mesmo lugar que eu estava, tenho certeza de que você corre agora mesmo para conquistar o seu passado ou as coisas que você acha que precisa/quer. Mas, se eu pudesse te dar algum conselho, aqui está: desacelere. Olhe em volta e reserve algum tempo para avaliar o que você realmente precisa na vida.

Crescer é difícil, mas pode ser menos desafiador se aproveitarmos para curtir. Não nos apressarmos. Nunca é tarde demais para se encontrar. Para encontrar seu propósito e sua voz.

Nunca é tarde demais para desacelerar e apenas viver.

Imagem de Kevin Schmid.

Este texto foi originalmente escrito em 2016 para o blog do I Am That Girl. Sempre perdi a chance de publicá-lo e chegou a hora (finalmente). Houve algumas alterações, mas mais por questões de época. 

Texto Original: If you want to go faster, stop running.

 

Contra as Feras tem apenas o intuito de gerar conversas/conscientização. Caso se identifique com alguma postagem mais direcionada/específica, por favor, busque ajuda especializada. Há atendimento nos Centros de Atenção Psicossocial – CAPS e no Centro de Valorização da Vida (CVV) – pelo site e pelo 188. Algumas universidades também oferecem atendimento gratuito/com preço acessível (e o recomendado é ligar antes de ir até o local).

 

Stefs Lima
Jornalista, fundadora do Contra as Feras e ex-líder de um Capítulo Local do movimento internacional chamado I Am That Girl. Vê a escrita como superpoder de criação e de comunicação capaz de tornar o mundo melhor.
Recomendados para você
Deixe sua opinião sobre o post
SIGA NO INSTAGRAM
@contraferas