24 ago 18
Conselho 5: O tempo não é seu inimigo

Nem acredito que este texto vai finalmente sair da mente para este site bonito. Eu enrolei demais para escrever, embora eu havia dito a Stefs que gostaria de participar da tag dos conselhos. Sim, eu sou pidona, entrona e tudo de “ONA” no exagero mesmo. Primeiro porque amo textos. Segundo porque acredito que eles podem fazer a diferença na vida das pessoas. Então cá estou eu.

Meu tema é o tempo (e olha que esse tema já foi do Guilherme em um encontro do I Am That Girl – que eu infelizmente perdi) e o considero poderoso. Por tal poder, na juventude em geral, ficamos de birra com ele e leva alguns anos (tempo?!) para que a gente se entenda com o relógio da vida.

Antes de tudo, me coloco como o primeiro exemplo. Eu sempre briguei com o tempo. No sentido que, em minha mente adolescente, eu estava sempre em atraso de acontecimento perante as outras meninas. Isso me anulou e me transportou para camadas de ausência que ainda são trabalhadas até hoje.

Nessa famigerada fase “xóvem”, queremos tudo ao mesmo tempo. É tudo instante e que precisa acontecer. Quando não acontece, xiii!, tristeza, cobranças, chacotas. Eu sofri e me cobrei demais pelas coisas que demoraram a acontecer na minha vida, sendo que a culpada disto tudo era eu mesma que não me esforçava o suficiente.

Hoje, eu vejo que o tempo é individual e é demais absurdo comparar um com o outro. Isso só nos levará ao caos.

E o mais complicado é que, como na adolescência, tudo é à flor da pele. Raros são os momentos que realmente ouvimos os conselhos ou entendemos o tempo de cada um. Apenas criticamos, cobramos e queremos resultados positivos. Digamos que é o “mal da fase” e percebemos depois de amadurecidos que, embora tudo tenha sido aprendizado, não era necessário tanto afogamento e desespero para com o tempo.

Clichê da Vovó que diz é tudo no seu tempo – acredite, é! E não fiquemos emburrados com essa frase, como muitas vezes eu fiquei. Mas é perceber que as ações têm razões para acontecer. Elas nos levam ao nosso melhor (é o que desejamos!)

Eu fiz as pazes com o tempo em um sentido geral. Entendi que cada qual tem sua carga emocional a ser vivida e que isso independe de uma ser agora e outra depois. Quando coisas grandiosas acontecem sempre penso: poxa, eu aproveitei mais agora, se fosse antes poderia não ter aproveitado. Aprendamos que não é o tempo que nos cobra de ações, e sim, as pessoas. O tempo não tem nada haver com isso.

O tempo é um tema grandioso demais, mas quero focar nesse tempo de realizações que cobramos de nós. Tenho 31 anos. Minha mãe com 31 já tinha feito muito mais que eu, mas o tempo (olha só né?) era outro. Outras situações e decisões. E acredito que minha mãe foi feliz em suas decisões e eu desejo que você seja feliz nas suas! Assim como hoje eu acredito estar em paz com as minhas.

Não será sempre tempos leves, mas, se você não usar o tempo como seu inimigo, já será um passo enorme!

Tempus Fugit – dizia o poeta Rubem Alves. E ele diz: Aproveite! Prove esse morango à beira do abismo, pois sua doçura é única e esse momento não virá novamente.

 

━━━ ❤ Escrito com amor por Isis Renata.

━━━ ❤ ━━━

Coisas que toda Garota deve Saber é uma coluna de conselhos para adolescentes. Se tiver interesse em contribuir, basta mandar uma mensagem para: blogbelaeferas@gmail.com.

Contra as Feras
Conversas, histórias, empoderamento e inspiração na voz daqueles que também possuem muito o que dizer sobre suas batalhas diárias contra as feras.
Recomendados para você
Deixe sua opinião sobre o post
SIGA NO INSTAGRAM
@contraferas